domingo, 30 de maio de 2010

Skate 3 – Review é Radical

Produtora: EA Black Box Distribuidora: Electronic Arts/Gênero: Esportes Plataformas: PlayStation 3 e Xbox 360/Por: Gui Radha
Há tempos imemoriais que o astro Tony Hawk dominava a indústria de jogos de skate com a franquia de mesmo nome, em parceria com a Activision. Contudo, em 2007, a Electronic Arts e a Black Box (estúdio interno da empresa) lançaram uma nova franquia no mercado: Skate. O jogo de nome simples redefiniu a jogabilidade e o realismo do esporte e mostrou o motivo pelo qual a EA domina todos os setores de jogos esportivos no mundo.
Skate era ótimo, foi lançado para Xbox 360 e PlayStation 3 e conseguiu grandes notas ao redor do mundo, como 90/100 do respeitado portal IGN. As falhas do jogo original se concentravam em alguns bugs gráficos, lags no modo multiplayer e falta de manobras freestyle. Um ano e alguns meses depois de Skate, a Electronic Arts lançou no mercado a primeira sequência do jogo, popularmente conhecida como Skate 1.5, já que o jogo não mudava muito do seu antecessor.

Skate 2 ganhou notas semelhantes a Skate e firmou-se definitivamente como o melhor jogo de skate desta geração, palavras de jogadores e críticos de diversos sites e revistas. Para sua informação, o Metacritic de Skate é de 86 e Skate 2 é 84.

Ainda em 2009, mas já no final do ano, a Electronic Arts anunciou que Skate 3 estava em desenvolvimento mais uma vez pelas mãos da Black Box. As novidades divulgadas na época não eram tão vastas, e foi dito que o jogo teria co-op online e offline, bem como a cidade do jogo mudaria para Port Carverton. Em Maio deste ano, Skate 3 chegou ao mercado conquistando mais uma vez os fãs de skate, mas ainda assim temos um pé atrás. Este jogo é realmente um novo Skate ou não merece o “3″ do título?
Descubra a seguir: Mais do que profissional
Em Skate 3, você não é mais um skatista que se contenta com algumas centenas de dólares conquistados em campeonatos do bairro. Você já é um skatista profissional famoso e precisa estabelecer sua marca de skates no mercado. Para isto você precisará ganhar campeonatos e expôr seu nome ao público, por exemplo: ganhe um campeonato, tire fotos para um outdoor, grave vídeos e isso alavancará suas vendas.
O mais divertido deste novo modo de carreira, é que você poderá criar verdadeiras mega-companias, vendendo milhões de skates e permitindo que outros skatistas entrem para sua compania através do modo multiplayer. E mais, todos os jogadores possuem perfis personalizados, estatísticas completas e até empregos dentro da empresa, como cinegrafista, por exemplo. E a personalização de Skate 3 vai além dos outros jogos anteriores, permitindo que outras pessoas comprem seus vídeos, imagens e pistas e dando dinheiro para sua compania.

A Black Box ouviu os fãs da franquia e criou um excelente modo de criação de pistas de skate. Mesmo que a gigantesca Port Carvertron seja suficiente para a maioria dos jogadores, o modo de criação é completo como nenhum outro jogo do estilo atualmente. Há uma imensa quantidade de ferramentas e customizações que junto a vasta quantidade de objetos, permitem que você crie praticamente tudo o que sempre imaginou em sua pista. E não basta criar, em Skate 3 você também pode compartilhar estas pistas com seus amigos.

Skatista vive em grupos
Seguindo a tendência da geração, Skate 3 foi extremamente focado no modo multiplayer, já que todas as possibilidades do jogo (como personalização, conquistar/troféus…) estão conectadas as redes online Xbox Live e PlayStation Network. Em Skate 3 há diversos modos de jogo do seu antecessor, bem como alguns novos que seguem o modo career offline, exemplo: companias podem se enfrentar em Spot Battle e Hall of Meat.
Os três modos novos do jogo são 1-Up, Domination e Own The Lot. 1-Up é um modo onde os jogadores do mesmo time precisam fazer o máximo de pontos possíveis em um número “x” de segundos, e então o outro time precisa bater esta pontuação em menos tempo. No modo Domination os jogadores precisam dominar mais áreas do mapa dentro de um limite de tempo, e o modo Own The Lot dá de 6 a 12 tarefas para seu time completar pelo cenário (manobras e afins), o time que completar primeiro, vence.

Outro importante modo de jogo da série Skate são os desafios (Challenges), que em Skate 3 decepcionaram os jogadores mais antigos. Eles estão muito fáceis e simples, talvez sendo uma escolha da Black Box em alusão as críticas de que o jogo era de difícil nível de aprendizado. E falando em aprendizado, Skate 3 traz o novo personagem Técnico Frank para ensinar a você como jogar e como fazer as manobras básicas.

A Black Box ainda criou dois níveis de dificuldade para atrair o novo jogador da série e o veterano. O primeiro é o Easy Mode, que afasta o jogo da realidade e permite fazer ollies, giros e grinds (deslizar com os trucks) com muito mais facilidade. Já o nível Hardcore Mode fideliza o esporte e mostra a verdadeira dificuldade que é realizar manobras como flips em verticais ou grids em corrimãos, um detalhe que notei é que agora você precisa dar cinco passos pro skate atingir a velocidade máxima, nos outros jogos da série acho que eram apenas três. Por último ainda há o modo Normal, que faz uma mistura entre os dois previamente citados.
Flips, ollies e grinds


A jogabilidade de Skate 3 continou bastante semelhante aos jogos anteriores. Os controles ainda são analógico direito para fazer os flips, o analógico esquerdo para movimentar o corpo e os botões de trás para segurar o skate no ar (grabs). Triângulo (Y no Xbox 360) você sai do skate, bolinha (B no Xbox 360) você freia e etc… idêntico aos jogos anteriores.
Uma novidade bem vinda foi o melhor polimento das animações do skatista quando ele está andando sem o skate, se em Skate 2 era tudo muito robotizado, em Skate 3 os skatistas parecem pessoas de verdade, e você notará que em certas partes do jogo e do mapa, vale muito mais a pena você descer do skate para preparar suas manobras. E as melhorias não aconteceram somente nas animações. Embora esteja muito semelhante a Skate 2, o novo jogo da série traz algumas mudanças como maior realismo à cidade de Port Carverton: há muitos pedestres, outros skatistas, carros cruzando as ruas, realmente parece uma cidade de verdade (pena ela ser dividida em três seções com loadings entre cada uma).

Algumas texturas do jogo também foram melhoradas, como as roupas dos skatistas e as águas, há também detalhes que podem até passar despercebidos, como o desgaste nos tênis e os rasgões nas roupas assim que você cai no chão. As faltas gráficas se devem a uma queda frequente no FPS do jogo e alguns glitches comuns em jogos de mundo aberto, principalmente no contato com pedestres ou outros skatistas espalhados pela cidade.

Um dos destaques de Skate 3 é a parte sonora do jogo. Embora os efeitos sonoros não sejam tão memoráveis, a trilha sonora (como é comum para jogos da EA) é muito boa e traz o nome de diversos artistas como Joy Division, Mobb Deep, Agent Orange, Dinosaur Jr. e Ol Dirty Bastard, em um mix de músicas antigas dos anos 80 e novidades. Punk Rock, British Rock, Reggae, Dub, Rap e Hip-Hop.

Conclusão
A Electronic Arts e a Black Box continuam com o domínio sobre os jogos de skate desta geração, mostrando um jogo com jogabilidade sólida que já se acostumaram os amantes do esporte, gráficos razoáveis e animações convincentes. Além disso, Skate 3 também faz bonito com as ótimas escolhas musicais.

Skate 3 tem como principal alicerce, os modos online que aumentam o replay do jogo como nenhum outro da série. Além do modo Career que leva sua empresa de skates também para o mundo online, as novidades no modo multiplayer são ótimas e divertem tanto quanto as já consagradas de Skate e Skate 2. Uma pena porém o jogo não ter um multiplayer offline, como o ótimo Party Play do Skate 2.

O criador de mapas, as novas manobras e os novos desafios tornam Skate 3 um jogo obrigatório para os fãs do esporte, mas para quem é apenas apreciador, as adições de Skate 3 não são o suficiente para fazer você gastar R$150 em um novo título caso já tenha Skate 2.

Mais & Menos
+ Editor de parques excelente
+ Variados modos online
+ Adesão de novas manobras
- Queda de framerate e glitches
- Poucas novidades no novo título
- Não tem multiplayer offline como Skate 2

Um comentário: