domingo, 25 de junho de 2017

Go Skate Day Brasil celebra estilo de vida e a pratica do skate















Neste domingo, 25, ocorre em várias cidades do Brasil o SkateDay, dia em que diversos skatistas saem as ruas pra estimular o desenvolvimento da cultura sk8.  Apesar das circunstâncias, um veículo furou o bloqueio e atropelou diversos jovens que participavam do ato na Rua Augusta-SP, e o ProRadical Skate repudia qualquer ato de intolerância e violência, que o motorista seja identificado e as medidas punitivas seja adotadas, e que a justiça tome a providências severas.
   
Infelizmente a intolerância ainda toma conta de alguns indivíduos, que tratam os adeptos dos esportes radicais, principalmente o skate, com discriminação e preconceito, causando cenas lamentáveis como essa que ocorreu em São Paulo.

A luta pela cultura das ruas continuam, e esportes como skate, patins e bike não sejam mais vistos em pleno século 21 pelo olhar conserva dor de pessoas intolerantes como marginais ou vagabundos.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Conheça a capital dos esportes radicais na Nova Zelândia

Queenstown é opção para os aventureiros e os viajantes mais tranquilos


Se você é amante da natureza, de esportes radicais e belas paisagens, precisa conhecer um pouco sobre Queenstown, na Nova Zelândia, antes de decidir o seu próximo destino. A cidade de cerca de 20 mil habitantes fica na Ilha Sul da Nova Zelândia. Para chegar até lá são duas horas de voo partindo de Auckland. Queenstown fica às margens do cristalino lago Wakatipu, que é cercado por montanhas. Apesar de não ser muito grande, a sua geografia contribui para que seja conhecida como a capital mundial dos esportes radicais.


Durante o inverno, centenas de visitantes procuram o destino para praticar esqui e snowboard. Ao redor da cidade há cerca de cinco estações de neve que servem de diversão para todos os níveis de praticantes.  Já no verão, as principais opções são rafting, asa delta, passeios de Jet Boats e os temidos bungee jumps – o mais antigo do mundo, o Kawarau Bungy é uma das atrações da região, com cerca de 43 metros de altura.


A cidade foi escolhida pelo neozelandês AJ Hackett para divulgar a modalidade inventada por ele, por isso são tantas opções. O mais alto da Nova Zelândia fica a 45 minutos de Queenstown, no desfiladeiro do rio Nevis, em uma altura equivalente a um prédio de 44 andares, desafio apenas para os corajosos. Para quem gosta de natureza, mas não de muita adrenalina, existem esportes mais tranquilos, como trekking partindo da Skyline Gondola — ponto turístico com uma das melhores vistas para as montanhas, que te deixa a 450 metros de altura.


Além de ser opção de aventura para todos os gostos, a cidade possui as quatro estações bem marcadas e um clima bastante agradável durante o ano inteiro, o que a faz ser um destino bastante turístico em qualquer época, seja para um mochilão ou para hospedar-se em um de seus hotéis de luxo e curtir belas paisagens.


Fonte: Webventure.com.br
Vídeo: Web divulgação

Além de verificar a situação cardíaca e física, o atleta deve realizar exame vascular do cérebro antes de realizar alguns esportes radicais



Radicais Algo sabido de todos é que a prática esportiva é uma forte aliada da saúde e evita diversas doenças.

O que muitas pessoas desconhecem, no entanto, é que é necessário acompanhamento médico para praticar exercícios ou modalidades mais intensas, chamadas de esportes radicais, já que tais práticas exigem mais do organismo e, consequentemente, pode trazer graves riscos, como, por exemplo, deixar o corpo suscetível a um acidente vascular cerebral, o AVC.

É comprovado que durante a prática esportiva o corpo humano apresenta picos de pressão. Com isso, caso o organismo não esteja preparado para absorver estas alterações e a pessoa já tenha alguma dilatação aneurismática (que se formam com base em alguma fragilidade dos vasos internos do cérebro), existe uma maior probabilidade de ele se romper, o que pode resultar em uma hemorragia cerebral", explica o doutor Osmar Moraes, neurocirurgião do Hospital Santa Catarina, de São Paulo. O médico ressalta, todavia, que não há estudos que mostrem que a prática de esportes radicais traga maiores riscos que outras modalidades "O que deve ser observado por todas as pessoas que praticam atividades físicas é incluir, além dos exames cardíacos e físicos, uma avaliação clinica e eventualmente um exame vascular do cérebro antes de realizar alguns esportes que exijam mais do corpo humano. Este cuidado pode atenuar muitos riscos e dar a chancela que o organismo precisa para praticar qualquer exercício".

Mais jovens, mais suscetíveis?


Eventualmente, ocorrem alguns casos de problemas cerebrais, como rotura aneurismática ou AVC, em jovens esportistas. Com isso, muitos se questionam se os atletas mais novos - sejam de fins de semana ou profissionais - estão mais suscetíveis a problemas nessa região do corpo.
  
Doutor Moraes esclarece que não há estudos que corroborem esta afirmação, no entanto, há vários fatores que podem favorecer o enfraquecimento de uma parede arterial e, consequentemente, aumentar os riscos de quem pratica esportes radicais." Ter hábitos prejudiciais ao corpo humano, como o consumo excessivo de álcool, o fumo, a hipertensão, além de não tratar infecções sanguíneas, podem ser fatores determinantes para potencializar os riscos de sofrer um AVC".

Secretário de São Caetano afirma que pista não será fechada


Inaugurada em 2008, a pista de skate da Estação Jovem de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, está interditada há algumas semanas.
A redação da Tribo Skate foi alertada pelos skatistas sobre o boato que a pista seria desativada. Entramos em contato com o secretário de cultura de São Caetano do Sul, senhor João Manoel da Costa Neto, responsável pela Estação Jovem, que salientou que a pista não será desativada e a interdição se deve por causa das fortes chuvas do mês passado.
Leia resposta do secretário sobre a pista de São Caetano:
Em resposta à sua solicitação vimos por meio desta esclarecer as medidas que estão sendo tomadas em relação à Pista de Skate da Estação Jovem:
·         A pista está fechada em decorrência das fortes chuvas do final de fevereiro;
·         Já houve uma discussão com a secretaria de serviços urbanos (SESURB) para limpeza da mesma;
·         No dia 08/03 tivemos uma reunião com Skatistas para definição de cronograma e regras para reabertura;
·         Cabe salientar que a pista NÃO será fechada.
Nos colocamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.
João Manoel da Costa Neto
Secretário de Cultura
Por Redação Tribo Skate

Evento Skate na Federal ocorre nos dias 16 e 17 de março

O Complexo Cultural Vadião, da Universidade Federal do Pará (UFPA), sediará, nos dias 16 e 17 de março, a exposição “Skate na Federal - Cultura, Esporte e Educação na Construção da Cidadania”. O evento compõe a programação do 1º Congresso de Ensino e Extensão (Cinex) 2017, realizado pelo Circuito Universitário de Cultura e Arte (CUCA) da União Nacional dos Estudantes (UNE).
A exposição é parte do Projeto Sociologia e Cultura Urbana, contemplado pelo IV Prêmio de Arte e Cultura da Pró-Reitoria de Extensão da UFPA. A entrada é gratuita e aberta a todos que tenham interesse.
Valorização - Por meio de objetos da “cultura skater”, como shapes, revistas, vídeos e skates, a proposta do evento é evidenciar as expressões da cultura de rua existentes no bairro Guamá. 
“A exposição está voltada para ações que valorizam a identidade das juventudes e a difusão da cultura urbana, fortalecendo a identidade dos moradores do bairro e desvelando realidades multifacetadas em seu contexto histórico social, contribuindo para a formação, a socialização, a cidadania e o interesse pelo estudo e hábitos mais saudáveis”, conta o estudante de Ciências Sociais da UFPA Alexandre Blanco, organizador do evento.
Programação - Durante a programação, das 10h às 21h, haverá apresentações de skateres e Feira de produtos esportivos. A exposição do Projeto “Skate na Federal - Cultura, Esporte e Educação na Construção da Cidadania” ocorrerá no dia 16 de março, às 20h.
No dia 17, além das apresentações culturais, será realizada, às 19h, uma roda de conversa com o tema “Skate nas Olimpíadas: O sonho que não se sonha só". Segundo o organizador, “o evento oferta entretenimento à comunidade acadêmica, por meio do esporte e da cultura como alternativa de inclusão e responsabilidade social”, conclui.
CUCA – O Circuito Universitário de Cultura e Arte surgiu em 2001, como um novo movimento cultural. Atualmente, o movimento é configurado como uma rede com núcleos em vários Estados brasileiros que reúnem a complementaridade entre os espaços sociais, nos quais são experimentadas intervenções do movimento estudantil.
Serviço: 
Exposição “Skate na Federal - Cultura, Esporte e Educação na Construção da Cidadania”.
Data e horário: 16 e 17 de março, das 10h às 21h.
Local: Complexo Cultural Vadião, Campus Básico, Guamá. 
Mais informações: cucapara2016@gmail.com, chesk8pa@gmail.com.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA.
Foto: Alexandre Moraes

terça-feira, 14 de março de 2017

Maior e melhor pista de Skate do DF

video

Skate parque do Recanto das Emas - DF.
Fica na quadra 300 no centro urbano da cidade.


Fonte: proradicalskate
Vídeo: Frank Abreu

Mundo sobre rodas


Essa semana conversei com Rafael Romano da RollingSports, com a chegada do skate  no mundo olímpico achei importante entender como o segmento de "rodinhas" se comporta no país. Aprendi muito com essa conversa.
A patinação é uma atividade de lazer que ocupa escolas, ruas e áreas livres. Sem dúvida, a mais popular entre as modalidades "sobre rodas".  Já o skate está entre as cinco modalidades esportivas mais praticadas no país.  No mundo, as principais empresas fabricantes de equipamentos são a Rollerblade e a Powerslide, não  há industria de peso no Brasil.  As grandes lojas, como Centauro e Decathalon  são os grandes distribuidores mas a loja do Rafael, bem no coração da Rua Augusta, em São Paulo, se encarrega de cuidar daqueles interessados em atendimento especializado, pois ele é profissional no assunto.
Perguntei a ele, o que faz uma cidade ser atrativa para patinadores. Ele me disse que o patinador urbano prefere o cartão postal e , nesse quesito, Barcelona é a mais interessante de todas pois o asfalto não tem imperfeições; os patinadores contam com o respeito dos condutores de veículos motorizados; o visual da cidade é espetacular e ainda há La Rambla ( sempre ela).
No Brasil, todos os estádios reformados para a Copa tornaram-se áreas de patinação e, sem dúvida, as Olimpíadas facilitaram a patinação devido a reurbanização de várias áreas no Centro do Rio. Os lugares de interesse são a Praça Maua, Madureira e há ainda o Grupo das Luluzinhas que se diverte nas rampas que rodeiam o Maracanã. Sobre São Paulo, ele disse que as imperfeições no asfalto dificultam a construção de circuitos mas principalmente há necessidade de consolidar o respeito para a saudável integração do patinador à cidade.
A mais interessante inovação nesse segmento sem dúvida foi o aprimoramento dos materiais e ligas para rodas e pranchas. Uma delas já noticiamos aqui. Foi a Curfboard, uma start up alemã, que fabrica um conjunto de rodas com giro de 360 graus.  No Brasil, com o consumo  andando de marcha ré,  as vendas de patins e afins foram dramaticamente reduzidas. O cliente que antes fazia questão de comprar o melhor equipamento disponível, hoje, quando pode, compra o mais barato. Uma pena!
Finalmente, nunca é demais lembrar que patinadores dividem com as bicicletas a pista da ciclovia pois essa é dedicada a veículos não motorizados.
Fonte: Blog Globo
Foto: Fecebook