sábado, 7 de janeiro de 2012

Trilhas, cachoeiras e grutas são atrações a quem visita o DF

Levantamento de 2008 indicava 50 propriedades de turismo ecológico. Lago Paranoá oferece esportes como mergulho, windsurf e vela.

Em menos de uma hora, apaixonados pela natureza podem trocar o cenário moderno da arquitetura de Brasília por espaços rurais no Distrito Federal. Cachoeiras, grutas e lagoas são opção para quem quer seguir um roteiro ecológico durante estada na capital do país.
                    Construção abandonada ao lado de cachoeira em área de Brazlândia, no Distrito Federal (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)
Segundo a presidente do Sindicato de Turismo Rural e Ecológico do Distrito Federal (Ruraltur), Maria Inês Ávila, um levantamento feito em 2008 indicava a existência de 50 propriedades voltadas a esse segmento turístico no DF. Os locais oferecem atividades como agroturismo, turismo pedagógico, ecoturismo e turismo equestre.


Inserido quase todo no cerrado, segundo maior bioma brasileiro, o DF também é palco para o turismo de aventura. Somente no Lago Paranoá, por exemplo, é possível praticar esportes náuticos, mergulho, windsurf e vela. Rapel, mountain bike e voo livre também estão na lista de possibilidade oferecidas na região.
Localizado entre as quadras 413/414 Norte e com cerca de 21 hectares, o Parque Olhos D’Água possui trilhas cercadas por animais e vegetação nativa do cerrado. A Lagoa do Sapo, cortada por duas pontes, é uma das principais atrações do local.
Equipamentos de ginástica e o parque infantil completam a estrutura. Submetido à Secretaria de Meio Ambiente do DF, o parque funciona entre 6h e 19h. A unidade é visitada cotidianamente pela comunidade da Asa Norte.
Outra importante área de lazer na capital do país, o Parque da Cidade Sarah Kubitscheck é opção para quem gosta de caminhadas e corridas. Além de esportes, os restaurantes e bosques com churrasqueiras recebem famílias e amigos dispostos a um lanche ou almoço. Há também parques infantis, um centro hípico e um kartódromo.
Já o Parque Nacional de Brasília, mais conhecido como Água Mineral, tem duas piscinas de e trilhas para caminhadas. A unidade de conservação conta com 30 mil hectares e possui animais de diversas espécies. Para entrar no local, aberto de 8h às 16h, é preciso pagar R$ 8.
Nos 526 hectares do Jardim Botânico de Brasília abertos ao público, também é possível fazer trilhas e conhecer as características do cerrado. A visita ao viveiro de orquídeas é indispensável. Localizado no Lago Sul, ele está aberto de 9h às 17h, a R$ 2.
Uma das mais belas lagoas naturais do DF, a Lagoa Bonita é refúgio para animais silvestres do cerrado. Ela está localizada a 38 quilômetros de Brasília, na área que abrigou os exploradores da Missão Cruhls. Em 1892, a expedição analisou a região e demarcou os limites territoriais da futura capital.

A Reserva Ecológica Paraíso na Terra fica em Brazlândia, a 60 quilômetros de Brasília. Voltado para a meditação e a harmonia com a natureza, o espaço oferece restaurante vegetariano e templo. Visitantes, hóspedes ou não, também podem fazer caminhadas, ir às cachoeiras, mergulhar nas piscinas naturais. O espaço funciona todos os dias e de 17h de sexta até 17h de domingo.
Com quase 4,8 hectares, a Chapada Imperial é uma das maiores unidades de mata particular do DF. Na reserva, também localizada em Brazlândia, é possível encontrar onças, lobos-guará, tamanduás-bandeira e tatus-canastra.

Os visitantes podem ir a cachoeiras e piscinas naturais, além de várias trilhas diferenciadas pelo grau de dificuldade. Para ir ao local, é preciso fazer reserva. A chapa abre às 9h e encerra as atividades por volta das 17h30.
Formada por um complexo de galerias e cavernas com cerca de 5 milhões de anos, a Gruta Rio do Sal tem câmeras internas povoadas por morcegos e salas cobertas por estalagmites. Localizada a 68 quilômetros de Brasília, ela só deve ser visitada com acompanhamento de guias habilitados.
A região também oferece cachoeiras. O rio forma várias quedas, que variam de 6 a 12 metros de altura, em uma distância média de 100 metros.

A ruptura de uma rocha de quartzo deu origem a um poço de águas límpidas e azuladas, com cascatas, corredeiras e uma caverna inundada. Também em uma propriedade particular próxima a Brazlândia, o Poço Azul é um dos pontos turísticos mais famosos de Brasília desde os anos 70.

 Fonte: G1.com.br

3 comentários: